FAMÍLIA FRANCISCANA PORTUGUESA

DIA DA FAMÍLIA FRANCISCANA PORTUGUESA 2016

Dia da FAMÍLIA FRANCISCANA PORTUGUESA 2016

Confirmação da Regra Franciscana - Domenico Ghirlandaio (1449-1494), Capella Sassetti, Florença

ESQUEMA DE ORAÇÃO

Cântico

Presidente: Ó GLORIOSO DEUS ALTÍSSIMO,

Todos: ilumina as trevas do meu coração, para contemplar a formosura do Teu amor, Tu que és bom, todo o bem, o supremo bem, e para viver em perfeita alegria a minha vocação de cristão.

Presidente: CONCEDE-ME UMA FÉ VERDADEIRA,

Todos: para seguir-Te fielmente, sem «apagar o espírito da santa oração e devoção, ao qual todas as demais coisas devem servir», e descobrir-Te no irmão, particularmente no «leproso», e com ele usar de misericórdia.

Presidente: UMA ESPERANÇA FIRME,

Todos: para conhecer qual a abundância dos Teus benefícios, a grandeza das Tuas promessas, a alteza da Tua majestade e a profundeza dos Teus juízos.

Presidente: UM AMOR PERFEITO,

Todos: para Te amar de todo o coração, pensando sempre em Ti, desejando-Te sempre de todo o coração, dirigindo-Te todas as intenções, e em tudo procurar a Tua honra.

Presidente: MOSTRA-ME, SENHOR, O RECTO SENTIDO E CONHECIMENTO,

Todos: acerca da minha «pertença» à comunidade cristã onde estou inserido, do meu compromisso no contributo concreto que sou chamado a dar em cada instante da minha vida.

Presidente: A FIM DE QUE POSSA CUMPRIR A TUA SANTA VONTADE. ÁMEN

 

Louvores a dizer antes de todos as Horas (S. Francisco de Assis)

          Todos: Santo, santo, santo é o Senhor Deus Omnipotente,

      Que era e que é, e que há-de vir.

      Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

 

L – Tu, Senhor nosso Deus, és digno de receber louvor,

      glória e honra e bênção.

T –  Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

L – Digno é o Cordeiro que foi imolado, de receber força e divindade

      e sabedoria e fortaleza e honra e glória e bênção.

T – Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

L – Bendigamos o Pai e o Filho e o Espírito Santo.

T – Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

L – Bendizei ao Senhor, vós, todas as criaturas do Senhor.

T – Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

L – Louvai a Deus, vós todos que sois seus servos

     e os que temeis a Deus, pequenos e grandes.

T – Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

L – Louvem-no a Ele, que é glorioso, os céus e a terra.

T – Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

L – E toda a criatura que está no céu e sobre a terra e debaixo da terra,

      o mar e tudo o que ele encerra.

T – Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

L – Glória ao pai e ao Filho e ao Espírito Santo.

T – Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

L – Assim como era no principio e agora e sempre,

      por todos os séculos dos séculos

T – Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

 

Da Carta aos Romanos (12,14-21)

Bendizei os que vos perseguem; bendizei, não amaldiçoeis. Alegrai-vos com aqueles que se alegram, chorai com os que choram. Preocupai-vos em andar de acordo uns com os outros; não vos preocupeis com as grandezas, mas entregai-vos ao que é humilde; não vos julgueis sábios por vós próprios. Não pagueis a ninguém o mal com o mal; interessai-vos pelo que é bom diante de todos os homens. Tanto quanto for possível e de vós dependa, vivei em paz com todos os homens. Não vos vingueis por vós próprios, caríssimos; mas deixai que seja Deus a castigar, pois está escrito: É a mim que compete punir, Eu é que hei-de retribuir, diz o Senhor. Em vez disso, se o teu inimigo tem fome, dá-lhe de comer; se tem sede, dá-lhe de beber; porque, se fizeres isso, amontoarás carvões em brasa sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer pelo mal, mas vence o mal com o bem.

Salmo 62 (63), 2-9 - Sede de Deus

2 Senhor, sois o meu Deus: desde a aurora Vos procuro. *

A minha alma tem sede de Vós.

Por Vós suspiro, *

como terra árida, sequiosa, sem água.

3 Quero contemplar-Vos no santuário, *

para ver o vosso poder e a vossa glória.

4 A vossa graça vale mais que a vida: *

por isso os meus lábios hão-de cantar-Vos louvores.

5 Assim Vos bendirei toda a minha vida *

e em vosso louvor levantarei as mãos.

6 Serei saciado com saborosos manjares *

e com vozes de júbilo Vos louvarei.

7 Quando no leito Vos recordo, *

passo a noite a pensar em Vós.

8 Porque Vos tornastes o meu refúgio, *

exulto à sombra das vossas asas.

9 Unido a Vós estou, Senhor, *

a vossa mão me serve de amparo.

Desde a aurora Vos procuro, meu Deus,

para contemplar o vosso poder e a vossa glória. Aleluia.

 

     Silêncio/oração pessoal

Oração:

 

Omnipotente, santíssimo, altíssimo e sumo Deus,

Santo e justo, Senhor do céu e da terra,

Te bendigo e te rendo graças

porque com a força do teu amor

me chamaste a seguir

as pegadas do teu Filho dilecto,

o Senhor Jesus Cristo,

na forma de vida que inspiraste ao teu servo Francisco.

 

Com a força do Espírito Santo,

renovo hoje diante de ti,

com todo o ardor do coração,

o voto de viver em obediência

sem nada de próprio e em castidade.

ao mesmo tempo, reafirmo o compromisso

de professar a vida e a Regra dos Frades Menores

Confirmada pelo Papa Honório,

segundo as Constituições da nossa Ordem.

 

Pai santo, concede que,

sustentado por Maria Imaculada,

Virgem feita Igreja e modelo da vida consagrada,

pela intercessão do pai S. Francisco e de todos os Santos,

com a ajuda dos irmãos,

persevere até ao fim no santo propósito

e, por tua graça unicamente,

chegue a Ti, ó Altíssimo,

que na Trindade perfeita e na Unidade simples

vives e reinas glorioso pelos séculos dos séculos.

Ámen.

 

Da Vida Segunda de Tomás de Celano, nº 191

“Foi seu (de Francisco) constante desejo e vigilante cuidado manter intacto entre os filhos o vínculo da unidade, de modo a viverem concordes no seio de uma mesma mãe todos aqueles que tinham sido atraídos pelo mesmo espírito e gerados pelo mesmo pai. Queria que reinasse a união entre grandes e pequenos, que os sábios e os simples comungassem num mesmo amor fraterno, e que, pela força do amor, unidos se sentissem os que longe se encontravam”.

 

Salmo 140 (141), 1-9 - Oração na adversidade

 

Ant. Suba até Vós, Senhor, como incenso, a minha oração. Aleluia!

Senhor, a Vós clamo; socorrei-me sem demora, *

escutai a minha voz quando Vos invoco.

Suba até Vós a minha oração como incenso, *

elevem-se minhas mãos como oblação da tarde.

Guardai, Senhor, a minha boca, *

defendei a porta dos meus lábios.

Não deixeis meu coração inclinar-se para o mal, *

nem praticar a iniquidade com os malfeitores, †

nem tomar parte em seus lautos banquetes.

Castigue-me o justo *

e repreenda-me com misericórdia,

mas o óleo dos ímpios nunca me perfume a cabeça; *

enquanto fazem o mal, não deixarei de rezar.

Os seus chefes foram precipitados contra o rochedo *

e compreenderam como eram suaves as minhas palavras.

Tal como terra cavada e lavrada, *

foram seus ossos dispersos à boca do abismo.

Para Vós, Senhor Deus, se voltam os meus olhos; *

em Vós me refugio, não me desampareis.

Defendei-me do laço que me prepararam, *

defendei-me das ciladas dos malfeitores.

Glória ao Pai e ao Filho *

e ao Espírito Santo,

como era no princípio *

agora e sempre. Amen.

 

Ant. Suba até Vós, Senhor, como incenso, a minha oração. Aleluia!

 

            Silêncio/oração pessoal

            Oração Universal

Irmãos caríssimos, por intercessão de S. Francisco de Assis, homem simples e iletrado, a quem o Espírito Santo concedeu a graça da compreensão das Escrituras (LM 11,2), dirijamos a Deus Pai a nossa oração, pela Igreja e pelo mundo, rezando cheios de confiança:

Santificai, Senhor, o vosso povo.

¾  Pela Santa Igreja de Deus, pelo Santo Padre, pelos Bispos e Sacerdotes, para que, enamorados por Cristo e pela sua Palavra, manifestem ao mundo, a exemplo de S. Francisco de Assis, o verdadeiro rosto de Deus e respondam aos desafios da nova evangelização, oremos ao Senhor:

¾  Para que o Altíssimo, Omnipotente e Bom Senhor, protector, guarda e defensor da humanidade, encha o mundo de sementes de paz e de bem e faça de todos os seres humanos instrumentos de reconciliação e de esperança firme, oremos ao Senhor:

¾  Por todo o povo de Deus, para que se disponha, cada dia, a escutar atentamente a Palavra e permita que a Palavra escutada se transforme em Palavra vivida, a exemplo de S. Francisco de Assis, oremos ao Senhor:

¾  Pelos governantes dos povos, para que se deixem iluminar pelas centelhas luz da Palavra de Deus presentes em todas as latitudes e se tornem construtores da fraternidade universal sonhada por S. Francisco de Assis, oremos ao Senhor:

¾  Por toda a Família Franciscana, para que, como Fraternidade fundada na Palavra, se deixe refundar por ela, pois só nela encontrará a sua razão de ser e a força para enfrentar os desafios do presente e do futuro, oremos ao Senhor:

¾  Por todos nós aqui presentes, para que, como em S. Francisco de Assis, o mesmo dom do Espírito que nos faz reconhecer o Corpo de Jesus no pão e no vinho consagrados, nos faça reconhecer também a Palavra viva de Deus nos textos da Sagrada Escritura, oremos ao Senhor:

Deus Pai todo-poderoso, Vós que concedestes a S. Francisco de Assis a graça de assemelhar-se a Jesus, vossa Palavra feita carne, dai à Igreja e ao mundo uma fé verdadeira, uma esperança firme e um amor perfeito. Por Nosso Senhor Jesus Cristo que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Ámen.

 

Oração (2 Celano, nº 224)

 

Lembra-te, Pai, de todos os teus filhos,

que como bem sabes,

assediados por vários perigos,

só de longe te seguem os passos.

Dá-lhes força para resistirem,

purifica-os para que resplandeçam,

fecunda-os para que dêem fruto.

Derrama sobre eles o Espírito de graça

e de oração para que sejam, como tu,

verdadeiramente humildes.

Sigam o exemplo da tua pobreza

e, como tu, mereçam também a caridade

com que sempre amaste

a Cristo crucificado,

o Qual, com o Pai e o Espírito Santo,

vive e reina pelos séculos dos séculos.

Amen.

 

Bênção Final

 

Presidente: O Senhor vos abençoe e vos guarde,

       Todos: Ámen

Presidente: Vos mostre a sua face e se compadeça de vós.

       Todos: Ámen

Presidente: Volte para vós o seu rosto, e vos dê a paz.

        Todos: Ámen

Presidente: O Senhor vos abençoe...Em nome do Pai...

        Todos: Ámen

 

Pode usar: http://www.familiafranciscana.pt/noticias-e-eventos/noticias/oracao-dia-da-ffp-2015

 

Aprovação da Regra

 

Legenda dos Três Companheiros, nº 46-51

 

Como o Bem-aventurado Francisco, com seus onze companheiros, se dirigiu à corte do Papa, para lhe apresentar o seu projecto e lhe pedir a aprovação da regra que escrevera

 

46. 1 S. Francisco via aumentar os seus irmãos, por graça divina, em número e em méritos. Eram agora doze, de coragem provada, sendo ele, o duodécimo, seu chefe e Pai.

Disse um dia aos seus onze companheiros: «Irmãos, vejo que o Senhor, na sua misericórdia, quer aumentar o nosso grupo. 2 Vamos, portanto, ao encontro da nossa mãe, a Santa Igreja Romana; demos a conhecer ao Soberano Pontífice o que o Senhor operou, servindo-se de nós, para prosseguirmos, segundo a sua vontade e as suas ordens, a obra começada».

47. 1 Chegados a Roma, encontraram lá o bispo de Assis que os recebeu com grande alegria…

5 O Bispo era amigo do Cardeal João de S. Paulo, Bispo de Sabina, homem realmente cheio da graça divina, que amava muito os servos de Deus. 6 Desde que o Bispo de Assis lhe dera a conhecer a vida de Francisco e seus irmãos, desejava vivamente ver o homem de Deus e alguns dos seus companheiros. 7 Sabendo que estavam em Roma, mandou chamá-los e acolheu-os, cheio de benevolência e devoção…

48. 3 O Cardeal dirigiu-se à residência papal e disse ao senhor Papa Inocêncio III: «Encontrei um homem de grande virtude que quer viver segundo o ideal do santo Evangelho e observar em todas as coisas a perfeição evangélica. Creio que o Senhor quer servir-se dele para reavivar no mundo a fé da Santa Igreja». 4 Estas palavras surpreenderam o Papa, que ordenou ao Cardeal que lhe levasse o bem-aventurado Francisco…

49. 1 No dia seguinte, o homem de Deus foi apresentado pelo Cardeal ao Soberano Pontífice, a quem revelou os seus projectos. 2 O Papa, homem de grande prudência, achou bem os desejos do santo, fazendo-lhe, a ele e aos seus irmãos, muitas recomendações; deu-lhes a bênção e acrescentou: «Irmãos, que o Senhor vos acompanhe e, conforme a inspiração com que se dignar favorecer-vos, pregai a penitência a toda a gente. 3 Quando o Deus todo-poderoso vos tiver multiplicado, em número e em graça, voltai a informar-nos; então vos concederemos largamente tudo o que pedirdes e vos confiaremos, com mais segurança, coisas mais importantes»…

51. 8 O Senhor Papa, vendo o seu fervor no serviço de Deus e comparando o seu sonho com a visão simbólica contada pelo bem-aventurado, disse para si: «Em verdade, é este o homem piedoso e santo que erguerá e sustentará a Igreja de Deus».

9 Abraçou-o, aprovou a regra escrita pelo homem de Deus e concedeu-lhe autorização de pregar, por toda a parte, a penitência; depois deu-a também aos irmãos, com uma condição: necessitavam, para irem pregar, da permissão do bem-aventurado Francisco.

10 Todos estes privilégios foram em seguida confirmados em consistório.