FAMÍLIA FRANCISCANA PORTUGUESA

ORAÇÃO

ORAÇÃO COM O “TAU DA MISERICÓRDIA”

 

Introdução

 

O nosso Deus é “rico em misericórdia” e tem o coração sempre aberto para acolher misericordiosamente, fazendo festa com o nosso regresso a sua casa. O Papa Francisco convocou-nos para a celebração de um Ano Jubilar da Misericórdia. O Senhor deseja oferecer-nos, individualmente e como comunidade de irmãos e irmãs, os presentes do perdão e da misericórdia, porque “Deus não se cansa de perdoar”.

Também Francisco de Assis, já no fim da vida, nos desafia a recomeçar: ”Irmãos, comecemos que até agora pouco ou nada fizemos”.

A Família Franciscana Portuguesa, no Ano da Misericórdia, propõe-se um caminho interior de renovação rumo à “Porta da Misericórdia”.

O Tau, símbolo da nossa Família, é convite a viver em permanente estado de conversão. Coloquemo-nos diante do Senhor da Misericórdia cantando a alegria de sermos irmãos, desejosos de nos tornarmos “oásis de misericórdia” para todos.

 

Cântico: Oh! como é bom, como é consolador viverem os irmãos no mesmo amor (M. Silva)

Presidente: Ó GLORIOSO DEUS ALTÍSSIMO,

Todos: ilumina as trevas do meu coração, para contemplar a formosura do Teu amor, Tu que és bom, todo o bem, o supremo bem, e para viver em perfeita alegria a minha vocação de cristão.

Presidente: CONCEDE-ME UMA FÉ VERDADEIRA,

Todos: para seguir-Te fielmente, sem «apagar o espírito da santa oração e devoção, ao qual todas as demais coisas devem servir», e descobrir-Te no irmão, particularmente no «leproso», e com ele usar de misericórdia.

Presidente: UMA ESPERANÇA FIRME,

Todos: para conhecer qual a abundância dos Teus benefícios, a grandeza das Tuas promessas, a alteza da Tua majestade e a profundeza dos Teus juízos.

Presidente: UM AMOR PERFEITO,

Todos: para Te amar de todo o coração, pensando sempre em Ti, desejando-Te sempre de todo o coração, dirigindo-Te todas as intenções, e em tudo procurar a Tua honra.

Presidente: MOSTRA-ME, SENHOR, O RECTO SENTIDO E CONHECIMENTO,

Todos: acerca da minha «pertença» à comunidade cristã onde estou inserido, do meu compromisso no contributo concreto que sou chamado a dar em cada instante da minha vida.

Presidente: A FIM DE QUE POSSA CUMPRIR A TUA SANTA VONTADE. ÁMEN

Leitor: Saboreemos agora a grandeza do nosso Deus que “é Amor” com a oração de Francisco de Assis: Louvores a dizer antes de todos as Horas.

          Todos: Santo, santo, santo é o Senhor Deus omnipotente,

      que era e que é, e que há-de vir.

      Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

 

L – Tu, Senhor nosso Deus, és digno de receber louvor,

      glória e honra e bênção.

T –  Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

L – Digno é o Cordeiro que foi imolado, de receber força e divindade

      e sabedoria e fortaleza e honra e glória e bênção.

T – Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

L – Bendigamos o Pai e o Filho e o Espírito Santo.

T – Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

L – Bendizei ao Senhor, vós, todas as criaturas do Senhor.

T – Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

 

L – Louvai a Deus, vós todos que sois seus servos

     e os que temeis a Deus, pequenos e grandes.

T – Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

L – Louvem-no a Ele, que é glorioso, os céus e a terra.

T – Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

L – E toda a criatura que está no céu e sobre a terra e debaixo da terra,

      o mar e tudo o que ele encerra.

T – Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

L – Glória ao pai e ao Filho e ao Espírito Santo.

T – Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

L – Assim como era no principio e agora e sempre,

      por todos os séculos dos séculos

T – Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

 

Todos: Santo, santo, santo é o Senhor Deus omnipotente,

   que era e que é, e que há-de vir.

             Louvemo-lo e exaltemo-lo pelos séculos.

 

Oração: (Todos)

 

Omnipotente, santíssimo, altíssimo e sumo Deus,

Santo e justo, Senhor do céu e da terra, / Te bendigo e te rendo graças

porque com a força do teu amor / me chamaste a seguir

as pegadas do teu Filho dilecto, / o Senhor Jesus Cristo,

na forma de vida que inspiraste ao teu servo Francisco.

 

Com a força do Espírito Santo, / renovo hoje diante de ti,

com todo o ardor do coração, / os meus compromissos baptismais /

(o voto de viver em obediência / sem nada de próprio e em castidade.

ao mesmo tempo, reafirmo o compromisso

de professar a vida e a Regra confirmada pelo Papa Honório,

segundo as Constituições da nossa Ordem).

 

Pai santo, concede que, / sustentado por Maria Imaculada,

Virgem feita Igreja e modelo da vida consagrada, / pela intercessão do pai S. Francisco,

de Santa Clara, / de Santa Isabel de Hungria, / de Santa Beatriz da Silva / e de todos os Santos,

com a ajuda dos irmãos, / persevere até ao fim no santo propósito

e, por tua graça unicamente, / chegue a Ti, ó Altíssimo,

que na Trindade perfeita / e na Unidade simples

vives e reinas glorioso / pelos séculos dos séculos. Ámen.

 

 

Leitor: Escutemos uma passagem da Bula de proclamação do Ano Jubilar da Misericórdia.

 

«Jesus Cristo é o rosto da misericórdia do Pai. O mistério da fé cristã parece encontrar nestas palavras a sua síntese. Tal misericórdia tornou-se viva, visível e atingiu o seu clímax em Jesus de Nazaré. O Pai, «rico em misericórdia» (Ef 2, 4), depois de ter revelado o seu nome a Moisés como «Deus misericordioso e clemente, vagaroso na ira, cheio de bondade e fidelidade» (Ex 34, 6), não cessou de dar a conhecer, de vários modos e em muitos momentos da história, a sua natureza divina. Na «plenitude do tempo» (Gl 4, 4), quando tudo estava pronto segundo o seu plano de salvação, mandou o seu Filho, nascido da Virgem Maria, para nos revelar, de modo definitivo, o seu amor. Quem O vê, vê o Pai (cf. Jo 14, 9). Com a sua palavra, os seus gestos e toda a sua pessoa, Jesus de Nazaré revela a misericórdia de Deus.

Precisamos sempre de contemplar o mistério da misericórdia. É fonte de alegria, serenidade e paz. É condição da nossa salvação. Misericórdia: é a palavra que revela o mistério da Santíssima Trindade. Misericórdia: é o acto último e supremo pelo qual Deus vem ao nosso encontro. Misericórdia: é a lei fundamental que mora no coração de cada pessoa, quando vê com olhos sinceros o irmão que encontra no caminho da vida. Misericórdia: é o caminho que une Deus e o homem, porque nos abre o coração à esperança de sermos amados para sempre, apesar da limitação do nosso pecado».

 

Oração pessoal e silêncio (a partir do texto seguinte)

Pai santo, que enviaste o teu Filho ao mundo, não para o condenar, mas para o salvar, faz com que eu, carregado de misérias, jamais perca a confiança, e me afaste de Ti, triste e desanimado. Infunde o teu Espírito no mais íntimo de mim mesmo para que, iluminado pela tua luz, ganhe força e coragem para retomar o caminho. As tuas palavras, por vezes, são duras. Mas sei que, com elas, apenas queres recuperar-me e salvar-me, dar-me ajuda para que não perca a vida eterna que me preparaste. Sei que és bondoso e cheio de misericórdia. Por isso, imprime no meu coração as palavras do teu Filho para que possa saborear hoje, amanhã e sempre, a tua salvação. Amen.

 

Salmo 130: Cântico das peregrinações

 

Refrão: No Senhor está a misericórdia e, com Ele, abundante redenção.

ou: Junto do Senhor a misericórdia. Junto do Senhor a abundância da redenção (M. Luís)

 

Do fundo do abismo clamo a ti, SENHOR!

Senhor, ouve a minha prece!

Estejam teus ouvidos atentos

à voz da minha súplica!

 

Se tiveres em conta os nossos pecados,

Senhor, quem poderá resistir?

Mas em ti encontramos o perdão;

por isso te fazes respeitar.

 

Eu espero no SENHOR! Sim, espero!

A minha alma confia na sua palavra.

A minha alma volta-se para o Senhor,

mais do que a sentinela para a aurora.

 

Mais do que a sentinela espera pela aurora,

Israel espera pelo SENHOR;

porque nele há misericórdia

e com Ele é abundante a redenção.

 

Ele há-de livrar Israel

de todos os seus pecados.

 

Leitura da Primeira Carta de S. João (1 Jo 4, 16-21)

 

16Nós conhecemos o amor que Deus nos tem, pois cremos nele. Deus é amor, e quem permanece no amor permanece em Deus, e Deus nele.

17É nisto que em nós o amor se mostra perfeito: em estarmos cheios de confiança no dia do juízo, pelo facto de sermos neste mundo como Ele foi.

18No amor não há temor; pelo contrário, o perfeito amor lança fora o temor; de facto, o temor pressupõe castigo, e quem teme não é perfeito no amor.

19Nós amamos, porque Ele nos amou primeiro. 20Se alguém disser: «Eu amo a Deus», mas tiver ódio ao seu irmão, esse é um mentiroso; pois aquele que não ama o seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. 21E nós recebemos dele este mandamento: quem ama a Deus, ame também o seu irmão.

 

Do Evangelho de S. Mateus (Mt 9, 9-13)

9Partindo dali, Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado no posto de cobrança, e disse-lhe: «Segue-me!» E ele levantou-se e seguiu-o.

10Encontrando-se Jesus à mesa em sua casa, numerosos cobradores de impostos e outros pecadores vieram e sentaram-se com Ele e seus discípulos.

11Os fariseus, vendo isto, diziam aos discípulos: «Porque é que o vosso Mestre come com os cobradores de impostos e os pecadores?»

12Jesus ouviu-os e respondeu-lhes: «Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. 13Ide aprender o que significa: Prefiro a misericórdia ao sacrifício. Porque Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores».

 

Oração (2 Celano, nº 224)

 

Lembra-te, Pai, de todos os teus filhos, / que como bem sabes,

assediados por vários perigos, / só de longe te seguem os passos.

Dá-lhes força para resistirem, / purifica-os para que resplandeçam,

fecunda-os para que dêem fruto.

Derrama sobre eles o Espírito de graça / e de oração para que sejam, como tu,

verdadeiramente humildes.

Sigam o exemplo da tua pobreza / e, como tu,

mereçam também a caridade com que sempre amaste / a Cristo crucificado,

o Qual, com o Pai e o Espírito Santo, / vive e reina pelos séculos dos séculos. Amen.

 

Profissão de fé em Deus misericórdia[1]

 

Presidente: Recordando o nosso Baptismo, vamos professar a nossa fé no único Deus verdadeiro, o Deus de Jesus Cristo que é sumamente misericordioso. Digamos confiantes:

 

Senhor eu creio, mas aumenta a minha fé.

 

Presidente: Credes em Deus, criador do céu e da terra, que nos criou, homens e mulheres, à sua amorosa imagem e semelhança?

 

Presidente: Credes em Jesus Cristo, manso e humilde de coração, amigo dos pobres, doentes e pecadores?

 

Presidente: Credes no Espírito Santo, nosso advogado e defensor, Senhor que nos inspira sempre sentimentos de paz e justiça, de misericórdia e benevolência?

 

Presidente: Credes que Maria, por obra e graça do Espírito Santo, nos deu o seu Filho Jesus, o Salvador do mundo, a fim de que todos se salvem, como Deus quer?

 

Presidente: Credes que Jesus Cristo, que proclamou felizes os misericordiosos, nos salvou dando a vida numa cruz, confiando-nos a sua própria Mãe como nossa Mãe também?

 

Presidente: Credes que Jesus Cristo venceu a morte e ressuscitou glorioso, abrindo-nos a porta para também nós ressuscitarmos um dia e participarmos da sua glória no Céu?

 

Presidente: Credes que Cristo fundou a Igreja, una, santa, católica e apostólica, como sacramento universal de salvação, e que deve ser o rosto de Jesus misericordioso para com todos, sem fechar nunca o coração a ninguém?

 

Presidente: Acolhei, Pai de misericórdia, a nossa profissão de fé em Vós, que sóis um Deus «misericordioso e compassivo, lento para a ira e cheio de bondade e fidelidade», pelos méritos do Coração de Jesus Cristo, na unidade amorosa do Espírito Santo. Ámen.

 

Cântico: É preciso renascer

 

Exame de consciência[2]

Presidente: Se todos somos irmãos como pecadores, mais ainda o somos como amados e perdoados por Deus, nosso Pai comum, que faz festa sempre que regressamos a sua casa, com misericórdia transbordante. Fraternalmente, confessemos os nossos pecados.

Confesso a Deus todo-poderoso…

 

(Possibilidade de confissões individuais)

 

Presidente: Deus, todo-poderoso e rico de misericórdia, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

 

Oração no Ano da Misericórdia
 

Senhor Jesus Cristo, / Vós que nos ensinastes / a ser misericordiosos como o Pai celeste, /
e nos dissestes que quem Vos vê, o vê a Ele, / mostrai-nos o Vosso rosto e seremos salvos!

O Vosso olhar de amor / libertou Zaqueu e Mateus da escravidão do dinheiro; /
a adúltera e Madalena / de colocarem a felicidade nas coisas criadas; /
fez chorar Pedro depois da traição, / e assegurou o Paraíso ao ladrão arrependido. /
Fazei que cada um de nós escute, / como se nos fossem dirigidas, /
as palavras que dissestes à samaritana: / «Se tu conhecesses o dom de Deus!»

Vós sois o rosto visível do Pai invisível, / do Deus que manifesta a sua omnipotência /
sobretudo com o perdão e a misericórdia: /
fazei que a Igreja seja no mundo o vosso rosto visível, / seu Senhor, ressuscitado e glorificado. /

Vós quisestes que os Vossos ministros / fossem também eles revestidos de fraqueza /
para sentirem como justa a compaixão pelos que estão na ignorância e no erro: /
fazei com que todos os que se aproximem de cada um dos vossos ministros /
se sintam acolhidos, amados e perdoados por Deus.

Enviai o Vosso Espírito / e consagrai-nos a todos com a sua unção /
para que o Jubileu da Misericórdia / seja um ano de graça do Senhor /
e a vossa Igreja possa, com renovado entusiasmo, / levar a alegre mensagem aos pobres, /
proclamar a libertação aos cativos e oprimidos / e restaurar a vista aos cegos.

Nós Vo-lo pedimos por intercessão de Maria, / Mãe de Misericórdia, /
a Vós que viveis e reinais com o Pai e o Espírito Santo, / pelos séculos dos séculos. Ámen

Presidente: O Papa Francisco lembrou-nos que «Deus nunca Se cansa de nos perdoar. Nós é que nos cansamos de pedir perdão». Levemos para as nossas famílias e locais de convivência e trabalho a experiência de sermos perdoados por Deus com generosa misericórdia. Distribuamos às pessoas que convivem connosco os presentes de misericórdia que o Senhor nos oferece.

Recebei a bênção de Deus que tanto nos ama.

 

Bênção Final

 

Presidente: O Senhor vos abençoe e vos guarde,

       Todos: Ámen

Presidente: O Senhor vos mostre a sua face e se compadeça de vós.

       Todos: Ámen

Presidente: O Senhor volte para vós o seu rosto, e vos dê a paz.

        Todos: Ámen

Presidente: O Senhor vos abençoe... Em nome do Pai...

        Todos: Ámen

 

 Centro de Franciscanismo

Família Franciscana Portuguesa - 2016

 

[1] “Celebração penitencial da misericórdia”, in Manuel Morujão, Celebrar e Praticar a Misericórdia. Subsídios para viver o Ano Jubilar da Misericórdia, 2ª ed., Editorial A. O, 2015, p. 232 ss.

[2] Pode usar proposta em “Celebração penitencial da misericórdia”, p. 234.